Poly-Capa

 

1   -   DEFINIÇÃO

POLY-CAPA é uma manta asfáltica, impermeável e flexível, produzida, industrialmente por processo contínuo. É constituída por duas camadas de asfalto polimérico, que formam o berço e o amortecimento em relação ao filme central de polietileno e a tela de poliéster, para serem aplicadas numa só operação, como monocapa.

POLY-CAPA é capaz de amoldar-se ao substrato e de absorver as deformações próprias das estruturas, sem se romper. É fornecida em bobinas de bordas paralelas. As faces externas são revestidas com filmes de polietileno, antiaderentes.

2   -   TIPOS DE MANTAS

As mantas POLY-CAPA são fornecidas em dois comprimentos, dependendo da espessura.

 

POLY-CAPA

3 mm

4mm

Espessura

3 mm +- 0,2 mm

4 mm +- 0,2 mm

Comprimento

10 m +- 0,2 m

10 m +-0,2 m

Largura

1,10 m +- 0,01 m

1,10 m +- 0,01 m

Peso da Manta

3 kg/m2

4 kg/m2

 

Codificação:

Filme plástico impresso de recobrimento

Camada de asfalto polimérico

Filme central de polietileno

Tela de poliéster

Filme plástico translúcido ou filme plástico descartável

OBS.: Quando se deseja aderir a manta ao substrato por fusão de asfalto, sem a interferência do filme plástico e assim facilitar o serviço, pode-se especificar a manta  POLY-CAPA com  uma face revestida com plástico descartável, que é removível no ato da aplicação.

3   -   CARACTERÍSTICAS

Permeabilidade à água:

Totalmente impermeável, com a máxima garantia.

Flexibilidade:

As bobinas de mantas POLY-CAPA podem ser desenroladas em temperaturas até 5ºC. Passam pelo ensaio de flexibilidade na temperatura de 0ºC.

Resistência ao calor:

As mantas não escorrem, quando suspensas, na vertical, em estufa a 80ºC.

Antiaderência nas bobinas:

Excelente comportamento devido aos filmes plásticos do revestimento externo, mantendo a facilidade de serem desenroladas mesmo em dias quentes.

Absorção da água:

Não absorve água, mesmo submerso.

Resistência à tração e alongamento:

Estas características fazem com que as mantas POLY-CAPA estejam especialmente adequadas para absorverem as dilatações próprias das edificações.

Durabilidade e resistência ao envelhecimento:

Revestido com uma argamassa de proteção entre 15 e 20 mm, complementando com um plaqueamento de argamassa ou um piso nobre, totalizando 40 mm de espessura, da um excelente desempenho por mais de 10 anos.

4   -   DADOS TÉCNICOS

Características do Asfalto Polimérico.

Penetração (25ºC, 100g, 5 seg.):  40 1/10 mm a 50 1/10 m (MB-107/58)

Ponto de amolecimento (anel e bola):   90ºC a 105ºC (MB-164)

Ductilidade (25ºC) : 4 cm (MB-167)

Ponto de fulgor (vaso aberto) : Min. 250ºC (MB-50/45)

Densidade (25ºC) : 1,02  -  1,05

Solubilidade em CS2 : 85% (MB-166/84)

Características dos Filmes de Polietileno:

Natureza química:

Filmes de polietileno, produzidos por processo de sopro, refilados e com espessura constante.

 

5   -   MATERIAIS AUXILIARES

Adesivo Asfáltico PREJUNTER:

É uma solução de asfalto oxidado e elastômeros dissolvidos em solventes orgânicos. Seu uso é recomendado como adesivo de contato, especialmente em áreas abertas e bem arejadas.

Seca rapidamente pela evaporação dos solventes.

Não deve ser usado em ambientes fechados ou com pouca ventilação, pois os vapores emanados são inflamáveis e tóxicos.

Para maiores informações, consultar a ficha técnica PREJUNTER.

Adesivo Asfáltico PLASTIPEGANTE:

É uma cola asfáltica contendo elastômeros.

Seu uso é recomendado como adesivo de contato, especialmente em ambientes fechados ou com pouca circulação de ar.

Secagem lenta pela evaporação da água, secando mais rapidamente sobre superfícies absorventes ou em ambientes abertos, com boa circulação de ar.

Por ser uma emulsão, os vapores emanados durante a secagem não oferecem riscos de incêndio ou intoxicação.

Para  maiores informações, consultar a ficha técnica PLASTIPEGANTE.

6   -   USO DAS MANTAS POLY-CAPA

Impermeabilização de coberturas, transitáveis ou não, marquises, telhados e pilotis.

Impermeabilização de depósitos, reservatórios, piscinas, caixas d'água e cisternas.

Impermeabilização de subsolos ou de galerias subterrâneas.

Impermeabilização de estruturas, pontes, estradas e obras públicas em geral

7   -   RENDIMENTO

É necessário 1,10 m2 de manta para impermeabilizar 1 m2 de superfície. A este valor deve ser acrescido o das áreas referentes ao contorno dos rodapés e das colunas, arremates de ralos, etc., ou de qualquer outro detalhe que necessite ser coberto pela manta.

8   -   GARANTIA

A qualidade da manta POLY-CAPA aplicada pelo Sistema de impermeabilização, é garantida de acordo com o código civil, desde que o serviço seja executado por pessoal credenciado, segundo as normas recomendadas pela TEXSA.

A garantia de qualidade cessa caso as mantas venham a sofrer danos provocados pelo uso indevido da área, cortes ou perfurações provocados por terceiros.

A qualidade do serviço é de inteira responsabilidade da firma aplicadora.

9   -   NORMAS GERAIS DE APLICAÇÃO

Em geral se seguem as normas gerais, usuais nas impermeabilizações contínuas, sendo indispensável que a aplicação seja executada por mão-de-obra especializada, credenciada pela própria fábrica.

9.1 -    Sistema Não-Aderido:

Em áreas planas, com caimento inferior a 3%, as mantas POLY-CAPA são geralmente aplicadas não aderidas sobre a superfície de suporte. Neste caso, é necessário a colocação de um recobrimento pesado que tem a função de manter a manta no lugar e protegê-la da agressão. Este recobrimento não pode terminar sem apoio no ponto mais baixo da área, sob pena de deslizar sobre o plano inclinado que é o próprio caimento.

Mais detalhes no item 9.2.

9.2 -    Sistema Aderido:

Quando o caimento é superior a 3% aplica-se a manta POLY-CAPA  aderida sobre a superfície a ser impermeabilizada, conforme item 10.4. Neste caso o procedimento com a proteção depende do tipo de material usado.

Uma proteção constituída por plaqueamento de argamassa necessita de especiais cuidados, porque as placas tendem a deslizar declive abaixo. É necessário prever adequada sustentação que impeça este movimento no sentido de se projetar pontos de apoio que possam suportar a resultante horizontal do esforço de deslizamento.

EXEMPLO DE UM SISTEMA DE ESCORAMENTO DE PAVIMENTAÇÃO

Concreto Armado

Argamassa de Regularização

Manta POLY-CAPA

Argamassa de Proteção

Pavimentação

Viga de Concreto Longitudinal

Vigota de Escoramento

9.3   -  A  manta POLY-CAPA deverá ser sempre protegida das intempéries.

9.4 - Procedimento para aderir as mantas asfálticas ao suporte

Para aderir as mantas às superfícies de suporte, deve-se usar um dos seguintes procedimentos:

9.4.1 -  Superfície horizontal:

Aplicação a frio, para superfícies muito bem acabadas

Colar as mantas a frio, com PLASTIPEGANTE ou PREJUNTER. Alinhar as bobinas, espalhar o adesivo imediatamente defronte as bobinas e desenrolar a manta sobre o produto fresco. Não usar o adesivo nas sobreposições das mantas. Não deixar o adesivo secar. Soldar a sobreposição com maçarico de GLP.

Aplicação a quente, para superfícies ásperas.

Aplicar uma camada fina de PLASTIPEGANTE sobre a superfície e deixar secar.

Alinhar as bobinas e, mediante um maçarico de GLP, aquecer a manta o suficiente para consumir o filme plástico e amolecer o asfalto pressionando-a contra a base. Prosseguir, desenrolando a manta e aquecendo-a de forma a manter o filete de asfalto fluído entre a bobina e a superfície.

Aplicação pelo método CAQ.

Fazer uma imprimação na base com  PRIMER-P deixando-o secar.

Alinhar a bobina, espalhar o asfalto derretido imediatamente defronte da bobina desenrolando-a e pressionando-a sobre a asfalto quente e a base.

9.4.2  -  Superfície vertical:

Aplicar uma camada fina de PLASTIPEGANTE (para áreas fechadas) ou PREJUNTER (para áreas abertas) sobre a superfície e deixar secar.

Remove-se da manta POLY-CAPA o plástico descartável e mediante um maçarico de GLP, aquecer a manta o suficiente para amolecer o asfalto.

Apertar a manta contra a parede de forma a expelir o ar. Em paredes altas, pedaços de manta, de tamanho conveniente, são fixados de baixo para cima, aplicando a chama sobre a parede e a manta simultaneamente.

9.5    -  A aplicação das mantas deverá sempre ser iniciada pela parte inferior dos caimentos (pelas calhas coletoras, se for o caso), o que facilitará a colocação e o transpasse lateral.

9.6    -  Nas calhas coletoras de água inclusive as bordas, até pelo menos 10 cm para fora, sendo superpostas lateralmente pela manta aplicada no piso.

9.7 - Os cantos internos não devem ser arredondados. Na sua impermeabilização devem ser sobrepostas 2 camadas de manta, sendo que cada camada (de manta) deve transpassar 10 cm além do canto.

9.8   -  Quando for necessário o recobrimento de ângulos externos, estes deverão ser previamente suavizados em meia cana do maior raio possível, utilizando-se para isso uma argamassa de cimento Portland e areia traço 1:3.

9.9 -  Antes da aplicação da manta sobre os ângulos externos, aderir uma tira de manta, como reforço. As emendas da manta principal não devem coincidir com as emendas do reforço.

10   -    ARMAZENAMENTO

Recomenda-se que o material não permaneça estocado por um prazo excessivamente longo, principalmente nos canteiros de obras, onde as condições de estocagem são geralmente precárias.

Em condições normais de armazenamento, as bobinas deverão ser dispostas em pilhas de, no máximo, 3 bobinas de altura, com os eixos paralelos, na temperatura ambiente máxima de 35ºC.

Em nenhuma hipótese as pilhas deverão ser formadas com as bobinas cruzadas.

11  -   EMBALAGEM

ROLO

Espessura = 3 mm

Comprimento = 10 m

Largura = 1,10 m

Área total =  11m2

Peso Líquido = ± 44,6 kg

Peso Bruto = ± 45,9 kg

 

ROLO

Espessura = 4 mm

Comprimento = 10 m

Largura = 1,10 m

Área total =  11m2

Peso Líquido = ± 59,5 kg

Peso Bruto = ± 60,8 kg

 

ROLO

Espessura = 5 mm (SOB CONSULTA E ENCOMENDA)